Pular para o conteúdo

Caravana Pro Paz Cidadania faz 100 mil atendimentos no Marajó

Após 36 dias oferecendo serviços de cidadania e saúde para os moradores de dez municípios do Marajó, os 130 profissionais que participaram da Caravana Pro Paz Cidadania desembarcaram na manhã desta terça-feira (1º) no píer da Estação das Docas. A caravana, que terminou domingo (29), no município de Afuá, fez ao todo 104.379 atendimentos, garantindo o acesso da população mais carente a serviços que não são ofertados na região.

A Caravana Pro Paz percorreu os municípios de Soure, Salvaterra, Ponta de Pedras, Muaná, São Sebastião da Boa Vista, Curralinho, Breves, Melgaço, Anajás e Afuá. Entre os serviços ofertados para a população na área da cidadania, estava a emissão de carteira de identidade, que foi o mais procurado, com 6.721 novos documentos expedidos. A caravana também fez a emissão de carteira de trabalho, CPF e fotografias para documentos, além do encaminhamento para a emissão de certidão de nascimento. No atendimento jurídico e de cidadania (como emissão de documentos), foram 28.646 atendimentos.

Segundo a coordenadora da caravana, Dulce Venturieri, que acompanhou durante 26 dias os atendimentos, o que mais chamou a atenção foi a grande procura pelas consultas nas áreas de pediatria, ginecologia e clínica geral. “Víamos nos rostos das pessoas atendidas a satisfação pelo serviço oferecido. Saber que estamos levando um atendimento de saúde especializado e documentos de identificação para uma população tão carente e ainda por cima ser reconhecido pelos próprios moradores não tem preço”, afirmou.

Na área de saúde, a população contou pela primeira vez com especialidades como urologia – com 1.513 atendimentos –, auxiliando no combate ao câncer de próstata. Uma das consultas médicas mais procuradas foi a de ginecologia, que fez 5.055 atendimentos. Também foram feitos consultas médicas nas áreas de pediatria, cardiologia e dermatologia e testes rápidos de hepatite B e C e de HIV. Foram feitos também exames laboratoriais e a distribuição de medicamentos, totalizando 75.733 atendimentos na área de saúde.

 

Assistência – A Caravana Pro Paz Cidadania também possibilitou que os servidores estaduais que atuam na capital conhecessem a realidade dos moradores do Marajó, além de ajudá-los a garantir sua cidadania. É o caso de Keila Oliveira, que integrou a equipe da caravana e, durante 36 dias, acompanhou de perto as características da população local.

“Anteriormente, tive a oportunidade de visitar o Marajó apenas a passeio. Sempre gostei da região e fiquei muito feliz em voltar. Agora que fui a trabalho, percebi o quanto a população precisava dos nossos atendimentos de saúde. Nesses dias, além de conhecer a realidade dos moradores, tive a oportunidade de me aproximar deles e conhecer como vivem na região, uma experiência gratificante”, disse ela, que fez a triagem dos pacientes atendidos.

Para a coordenadora do Pro Paz Cidadania, Cláudia Vinagre, o saldo da caravana foi positivo, pois em todos os municípios que receberam os atendimentos a população compareceu em grande número. “Conseguimos atingir a meta, tanto na área da saúde como na de cidadania. Na saúde, por exemplo, superamos em 8% a meta de fazer 700 atendimentos por dia”, informou.

Ainda segundo Cláudia Vinagre, todos os pacientes que foram atendimentos pela caravana e que precisam continuar em tratamento médico foram cadastrados e encaminhados para hospitais da capital e do município de Breves. “Os pacientes que foram atendidos e que precisarão de um acompanhamento médico mais específico, ou cirurgia, estão com exames marcados em Belém e no Hospital Regional de Breves. Assim podemos garantir uma atendimento integral para todos”, pontuou.

A Caravana Pro Paz também ofereceu uma programação cultural, com mostras de cinema nos municípios promovidas pelo Instituto de Artes do Pará (IAP). A ação é uma iniciativa do Programa Pro Paz, em parceria com a Defensoria Pública do Estado, secretarias de Estado de Saúde Pública (Sespa) e de Assistência Social (Seas), polícias Civil e Militar e IAP.

Fonte: Agência Pará de Notícias

Compartilhe nossos artigos

Posts Relacionados

Comentários

Sem comentários.

Trackbacks

Sem trackbacks.